ENTREVISTAS

Kauê Benvenuto

O bate papo é com o ex-jogador Kauê Benvenuto, atleta que jogou tanto no futebol de campo, como no futsal, em seu currículo conta com passagens, no futebol italiano e norte americano. Entre seus trabalhos também atuou na Secretaria de Educação de Itupeva. Atualmente trabalha como treinador na cidade de Santos.

Como foi a base na sua carreira?
Eu comecei jogando futsal no Luso Brasileiro, depois eu fui para o Clube Atlético Ypiranga, equipe onde fui capitão na categoria sub 17, na sequencia troquei o futsal pelo campo, jogando no sub-20 do União de Mogi.

Entrada no futebol profissional?
Em um jogo amistoso entre União de Mogi e Santos, time que tinha Wesley, Carleto, Alemão e Rafael, goleiro que jogou no Napoli e hoje atua no futebol inglês, recebi uma proposta de um agente italiano para atuar no futebol da Itália, local onde aprendi uma nova cultura e uma nova língua, adquiri minha cidadania italiana, comecei a percorrer varios times na ‘Velha Bota’.

Passagem pelo futebol italiano?
Na Itália iniciei no campo, jogando na Martina Franca e depois no Bocca SanLazzaro, recebi um convite para jogar no futsal e atuei no Csg Putignano, Conversano, Civitella C5, Minturno C5.

Retorno ao Brasil e retorno ao futebol profissional?
Por motivo de algumas cirurgias de joelho, situação que atrapalhou muito na sequencia da carreira, retornei ao Brasil, mesmo brigando contra esses problemas, joguei no Gremio Barueri, Noroeste e por último fui para os Estados Unidos, onde vesti a camisa do FC Dallas, sendo campeão da atual Flórida Cup.

Qual a posição você jogava?
No campo joguei na meia, e no futsal de ala/pivô.

Partida marcante?
Foi uma na Itália, onde jogamos contra uma equipe de série A, chamada Bisceglie eu ainda era under 21, ganhamos de 4x3 e eu fiz os 4 gols.

Um gol inesquecível?
Marquei poucos gols, mais no futsal do que no campo, porém, parece engraçado, o gol inesquecível foi em um pelada, ou melhor um festival, evento de comemoração de um grande clube de associados, fiz um gol de bicicleta.

Trabalho atual?
Hoje sou treinador de futebol, trabalho no Real Cubatense, clube profissional da cidade de Santos, porém com origem no município de Cubatão.

Como é o trabalho no Real Cubatense, qual a filosofia do clube?
O clube trabalha com a filosofia de ter o respeito com as pessoas, e mentalidade vencedora, entrou no campo tem que dar 1.000%. O resultado está acontecendo, este ano fomos para as finais da São Paulo Cup, no ano que vem existe a possibilidade de retornarmos a disputar o Paulistão, na série B.

Ídolo no esporte?
Sou fã de Cristiano Ronaldo, um verdadeiro atleta, um exemplo de profissional, não é atoa que é um dos melhores jogadores na história do futebol.

Como você vê o futsal do estado de São Paulo e do Brasil?
A Liga Paulista é excelente, uma competição de alto nível, já a Liga Nacional nem se fala, na minha modesta opinião só joga no Brasil quem é bom de verdade.

Tem algo que precisa mudar no futebol, tanto de campo como no futsal?
Precisamos melhorar na base, acredito que esse é o caminho, principalmente incentivando o esporte em geral nas escolas, não só o futebol, mas todas as modalidades existem garotos que podem se destacar em outros esportes e não são aproveitados.

Você trabalhou em secretaria municipal na área de educação, você cita que precisamos trabalhar a base nas escolas, como fazer esse trabalho?
Acredito que o futuro dos esportes de maneira geral, precisa sim de um cuidado na base e em especial nas escolas. Professores melhores preparados para criar as oportunidades para que as crianças possam desenvolver, nesse ou naquele outro esporte. É o que acontece em outros países, China e EUA por exemplo. Na escola a característica principal da criança é ser veloz, o trabalho já é iniciado com o atletismo, ou arremessa bem na queimada, já é encaminhado a esportes de arremesso como handebol beisebol.

Amigos no esporte?
Fiz muitas amizades no esporte, inclusive o privilégio de jogar junto com um ala canhoto, chamado Túlio Carulla, além de meu irmão da bola, era um craque jogando futsal, foi o melhor que eu vi jogar, tive o prazer de poder atuar por uma temporada com ele na Itália, mas a amizade levo pra vida.

Se pudesse voltar no tempo, o que você faria para mudar sua história no esporte?
Se eu pudesse voltar no tempo, eu me focaria mais na minha carreira, e trabalharia mais duro, acredito que poderia evitar algumas lesões que prejudicaram no futebol.

Dica para os iniciantes no esporte?
Sempre ressalto para os garotos focar no trabalho, trabalhar duro, jogo é o reflexo do treinamento, se treinar bem, vai jogar bem.
 
 
 


Galeria de Fotos:





VEJA TAMBÉM



ENTREVISTAS  |   09/09/2021 19h11





ENTREVISTAS  |   13/06/2021 10h38


ENTREVISTAS  |   20/07/2020 20h05