COLUNISTAS | Vida de Goleiro (Marcelo Pastel)

Rodolfo Rodrigues: ‘A Grande Muralha Santista’

Na coluna ‘Vida de Goleiro’ desta vez, vamos falar de um uruguaio que começou sua carreira no Paraguai e fez história em terras brasileiras, jogando no Santos. Estamos falando de Rodolfo Rodrigues.

O arqueiro nasceu no dia 20 de janeiro de 1956, na cidade de Montevidéu/URU. No futebol começou sua carreira no Cerro Porteño/PAR, equipe que defendeu por dois anos, até chegar ao Nacional/URU, onde foi campeão da Copa Libertadores da América e da Copa Intercontinental em 1980, além de ter vencido o Campeonato Uruguaio em três oportunidades; 1977, 1980 e 1983.
 
Em 1984, o Santos precisava de um goleiro, como por muitas vezes em sua história, as finanças não andavam bem. Porém, a diretoria pensava em um nome impactante, o arqueiro da Seleção Uruguaia e já campeão da Libertadores, Rodolfo Rodrigues. A pergunta era; como contratar um jogador desse nível com tantos problemas?
 
Desta maneira, a diretoria recorreu ao maior atleta da sua história, Pelé, o craque mundial aceitou ajudar o clube, situação que aconteceria em outras ocasiões, no clube praiano.
 
Em seu primeiro ano vestindo a camisa santista, Rodolfo Rodrigues, sagrou-se campeão paulista. No ano de 1984, o estadual foi disputado em sistema de pontos corridos, após vencer o Corinthians por 1 a 0, com gol de Serginho Chulapa, na última rodada, o Santos comemorou no dia 2 de dezembro, o título do Paulistão, no estádio do Morumbi.
 
No ano seguinte, Rodolfo Rodrigues ajudou a equipe santista a conquistar a Copa Kirin do Japão, enfrentando na final, a seleção de seu país, e, em 1987, o Torneio Cidade de Marseille, na França.

Quando Rodolfo Rodrigues chegou ao Santos, ele já era um velho conhecido do futebol brasileiro, pois um ano antes ele havia fechado o gol contra a Seleção Brasileira, no Mundialito. O arqueiro vestiu a camisa santista, no auge de sua experiência profissional, com quatro títulos em seu currículo. Logo nos primeiros jogos na Vila, já se tornava ídolo. O fato é que no gol em que defendia raramente a bola entrava.
 
Um dos fatos marcantes com a camisa santista aconteceu, no dia 14 de julho de 1984, pelo Campeonato Paulista, o Santos recebeu na Vila Belmiro o América de São José do Rio Preto, era o terceiro jogo do Peixe na competição, até então havia vencido o Comercial de Ribeirão Preto por 1 a 0 e o Guarani pelo mesmo placar. Neste dia o Santos venceu por 2 a 0, com dois gols de Sérginho Chulapa. Até aí nada de anormal para que esta partida entrasse para a história.
 
Acontece que neste jogo, Rodolfo Rodrigues, protagonizou uma das mais fantásticas sequências de defesas do futebol, foram defesas incríveis, cinco consecutivas, enquanto que os jogadores santistas assistiam inerte aos milagres do guerreiro uruguaio. As bolas foram chutadas da pequena e da grande área na mesma jogada. Nesse lance, Rodolfo chegou a fraturar o dedo, mas continuou a jogar. 

Rodolfo jogou no Santos de 1984 até 1987 e nesse período disputou 255 jogos. Em 2009, foi eleito jogador símbolo do Santos F.C. no período de 1971 a 1990, prêmio que Pelé e Robinho também ganharam em suas épocas, vestindo a camisa santista.
 
Depois do Santos, Rodolfo foi jogar no Sporting/POR. Voltou ao Brasil, cinco anos mais tarde, para defender a Portuguesa. Jogou também pelo Bahia, onde se aposentaria em 1994.
              
Na Seleção Uruguaia conquistou o Mundialito em 1981 e a Copa América em 1983. Já na Copa do Mundo de 1986, no México, fez parte do elenco celeste, mas não atuou em nenhuma partida, o Uruguai foi eliminado nas oitavas de final, para a Argentina.







 


Por: Marcelo Pastel





VEJA TAMBÉM



COLUNISTAS  |   08/09/2021 17h54





COLUNISTAS  |   24/06/2021 17h20


COLUNISTAS  |   07/05/2021 20h29